Deputados alagoanos se reúnem com moradores e autoridades para discutirem a situação do Pinheiro

Além dos deputados estaduais, a sessão pública contou com a presença de integrantes do movimento SOS Pinheiro, do Corpo de Bombeiros, Braskem, Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público de Alagoas e Serviço Geológico do Brasil.

0
19
Moradores e órgãos envolvidos participam de audiência pública na ALE — Foto: Thamires Ribeiro/G1

Deputados estaduais de Alagoas se reuniram com moradores e diversos órgãos envolvidos nas investigações das rachaduras do bairro do Pinheiro, em Maceió, para discutir a situação na Assembleia Legislativa do Estado (ALE) na manhã desta sexta-feira (22).

Desde fevereiro de 2018, após um período de fortes chuvas e um tremor de terra, que crateras e rachaduras vêm surgindo em ruas e imóveis no bairro. Especialistas fazem estudos do solo, mas ainda não há resultado conclusivo sobre a origem do problema. Muitos dos 19 mil moradores do bairro já deixaram suas moradias por causa dos riscos de desabamento.

Além dos deputados estaduais, a sessão pública contou com a presença de integrantes do movimento SOS Pinheiro, do Corpo de Bombeiros, Braskem, Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público de Alagoas e Serviço Geológico do Brasil.

A sessão foi convocada pelo deputado Cabo Bebeto. Segundo ele, a intenção é levar as discussões para Brasília.

“Precisamos ter essa discussão para que os órgãos públicos relatem seus problemas e o que eles sabem até agora, e que a população relate o que tem visto e o que tem sentido. Eu acho que a gente tem que ouvir todo mundo para elaborar um relatório falando o que o Município e o Estado não dão conta, para que eu leve essas demandas para uma reunião com o Ministério de Minas e Energia para que eles ajudem”, disse o deputado.

A Defesa Civil Municipal alegou estar engajada para a resolução do problema junto a órgãos estaduais e federais e que os primeiros resultados dos estudos realizados no bairro devem ficar prontos em breve.

“Agora é aguardar os resultados, a gente sabe do anseio da população porque a gente ainda não tem os resultados preliminares, mas estamos aguardando com muita ansiedade e eu acredito que até depois do carnaval eles possam ter esses resultados preliminares para que possa sair um novo mapa ou que eles deem algum resultado preliminar dos estudos que estão sendo feitos”, afirmou o coordenador do órgão, Dinário Lemos.

- Publicidade -

Deixe uma resposta