Área queimada no Pantanal chega a 122 mil hectares e força-tarefa intensifica combate

0
14
incêndio no Pantanal
Foto: Chico Ribeiro

Com o apoio do Exército, Ministério do Desenvolvimento Regional, Ibama, ICMbio, Corpo de Bombeiros do Estado e do Distrito Federal, o governo do Estado de Mato Grosso, intensifica o combate aos focos de incêndio no Pantanal, abrangendo uma área retangular dos municípios de Aquidauana, Miranda e Corumbá. A área queimada desde o dia 26/10 e a atingida neste sábado somam 122 mil hectares.

O total estimado foi divulgado pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e revela a intensidade do fogo na região, devido a prolongada estiagem e ações humanas, que podem ter causado a maioria dos focos. Técnicos do Imasul (Instituto do Meio Ambiente de MS) e policiais da Polícia Militar Ambiental (PMA) farão um levantamento das áreas afetadas para verificar a origem do fogo, que surgiu em beira de rio e na margem da BR-262.

Rio Negro é prioridade

O secretário Jaime Verruck, da Semagro (secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), sobrevoará a área queimada na manhã desde sábado, acompanhado do comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Joílson Alves do Amaral. Também visitarão a base avançada da Operação Pantanal 2, instalada na Fazenda BR Pec, a 60 km de Miranda, onde uma extensa área foi queimada.

A situação atual no Pantanal, com o fogo se expandindo com a força do vento e a presença de uma massa de vegetação propensa ao fogo, é priorizar o combate aos focos que ameaçam o Parque Estadual do Rio Negro, para onde se deslocaram de Campo Grande, na manhã desde sábado, 53 brigadistas do Ibama e do ICMbio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). A área foi sobrevoada para definir um plano de ação imediata.

Sistema de comunicação

Conforme informações da base avançada da operação, em Miranda, o Exército também dará apoio ao combate aos focos no Rio Negro, deslocando para a área uma cozinha de campanha, reservatório de água potável e equipe para instalação de sistema de comunicação, que é uma das dificuldades operacionais no contato entre as ações por terra com as aeronaves. A região terá uma base operacional, que está sendo instalada na Fazenda Barranco Alto.

“Estamos atualmente com 91 focos em toda a área monitorada”, informou o coordenado da Coordenadoria de Defesa Civil do Estado, tenente-coronel Fábio Catarinelli, com base em dados de satélites. O comando da Operação Pantanal 2 anunciou para este domingo a chegada do avião Air Tractor do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, que já operou no combate aos incêndios ocorridos na Fazenda Refúgio Caiman, em Miranda, em setembro

- Publicidade -

Deixe uma resposta