Incêndio ‘sem precedentes’ destrói o Pantanal Mato-grossense

Os números são impressionantes e a intensidade é sem precedentes, ao todo, de acordo com o Governo do Estado, a área queimada, somente no Pantanal, é de 55 mil hectares em uma faixa de 50 quilômetros que vai da BR-262 a áreas de difícil acesso mata a dentro.

0
18
incêndio no Pantanal
Foto: Governo do MS

Grandes incêndios destruíram mais de 5 mil hectares, entre a noite de quarta (30) e a tarde desta quinta-feira (31), no Pantanal, em Mato Grosso do Sul. Em 24 horas, os satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) registraram 437 focos no Estado, a maioria nessa região. O acumulado nos últimos cinco dias chegou a 1.432 focos.

Os números são impressionantes e a intensidade é sem precedentes, ao todo, de acordo com o Governo do Estado, a área queimada, somente no Pantanal, é de 55 mil hectares em uma faixa de 50 quilômetros que vai da BR-262 a áreas de difícil acesso mata a dentro.

“Proporções nunca registradas”. “Cenário é de devastação”. É assim que o governo de Mato Grosso do Sul define a situação da queimada que voltou ao Pantanal no fim de semana.

As queimadas no Pantanal aumentaram mais de 430% somente em 2019, a falta de chuva agrava a situação. O chefe de Proteção Ambiental do Corpo de Bombeiros, coronel Waldemir Moreira, explica que o fogo na região pantaneira começou na sexta-feira (25), combate começou no sábado e mesmo assim, no domingo (27), já tinha tomado grandes proporções. “É bem grave”, resume o oficial. “São linhas de incêndio muito extensas”.

O incêndio está se espalhando assustadoramente por conta dos fortes ventos e auxiliado pela vegetação seca. Um incêndio intenso acompanhado por uma fumaça avermelhada impediu novamente o tráfego na estrada na quarta-feira, disse a assessoria de comunicação do Governo do Estado, que já solicitou apoio federal.

incêndio no Pantanal
Foto: Chico Ribeiro

O combate às chamas é feita por via terrestre e área, sendo esta última em parceria com o Mato Grosso. A aeronave do estado vizinho tripulada por bombeiros com experiência em incêndios florestais joga água.

“A progressão e a variação do fogo nessa região do Pantanal de Mato Grosso do Sul é algo impressionante”, disse o piloto tenente-coronel Flávio Gledson Vieira Oliveira, com mais de 12 anos na atividade.

Os municípios afetados são os de Corumbá, a cerca de 10 km da fronteira com a Bolívia, Miranda e Aquidauana.


- Publicidade -

Deixe uma resposta