Mortes com as chuvas de Minas Gerais chegam a 56

Belo Horizonte foi uma das cidades mais afetadas, tendo o maior número de mortes causadas pelo temporal, com 13 vítimas.

0
28
Mortes com as chuvas de Minas Gerais chegam a 56
Foto: Douglas Magno / AFP

Após quase 2 semanas de chuvas as buscas por desaparecidos chegou ao fim na manhã desta sexta-feira (31), quando equipes de resgate dos Bombeiros de Minas Gerais encontraram o corpo de Valmir Gonçalves de Paiva, que havia sido arrastado uma semana antes, na sexta-feira, dia 24, pela correnteza do rio Ventura Luiz, em Conselheiro Lafaiete, cidade localzada a 102km da capital mineira, Belo Horizonte.

Conforme informações, Valmir tentava atravessar o afluente durante o temporal quando foi arrastado. O corpo foi localizado às margens do Córrego Moinhos. A perícia e o corpo de bombeiros foram acionados no local. Após ser identificado, o corpo foi levado para uma funerária da região.

Com Valmir o número de mortes por desabamentos, deslizamentos de terra e inundações causadas pelas chuvas recordes de Minas Gerais, chegou a 56.

Uma das cidades mais afetas, Belo Horizonte, ainda tem 25 vias interditadas totalmente e 68 de forma parcial. Segundo a prefeitura, a região mais crítica é a Centro-Sul da capital mineira — onde fica o bairro de Lourdes, área nobre da cidade, que ficou inundado no temporal da última terça-feira. A capital mineira é a cidade que teve o maior número de mortes causadas pelo temporal: das 56 vítimas fatais em todo estado, 13 foram em BH.

As intervenções acontecem nos bairros Diamante, Vale do jatobá e Itaipu, na região do Barreiro e nas avenidas Silva Lobo e Teresa Cristina, na regional Oeste. Também estão interditas as avenidas Úrsula Paulino e Silva Lobo, na região Oeste, e Risoleta Neves, no Nordeste da cidade, entre outros pontos.

A prefeitura informou que a priorirdade do trabalho está sendo na desobstrução de bocas de lobo, vias e galerias, além do atendimento à população atingida.

- Publicidade -