Cartilhas de orientação são distribuídas para usuários de praias nordestinas afetadas por óleo

Elaborado por equipes de saúde e da defesa civil, material alerta para o reconhecimento dos sintomas em caso de intoxicação

0
175
Cartilhas de orientação são distribuídas para usuários de praias nordestinas afetadas por óleo
Foto/Divulgação: MDR

A Defesa Civil Nacional e o Ministério da Saúde publicaram uma cartilha com orientações à população sobre como agir ao frequentar as praias afetadas pelo derramamento de petróleo no litoral do Nordeste. O material lista os cuidados a serem tomados e alerta para o reconhecimento dos sintomas em caso de intoxicação e foi elaborado por equipes técnicas de saúde e da defesa civil.

Segundo análises da Petrobras, o material encontrado nas praias é petróleo cru de origem estrangeira. Em contato com a água salgada e a areia, é gerada uma mistura tóxica que pode causar diversos males. A depender do grau e período de exposição, os sintomas podem ser dificuldade para respirar, dor de cabeça, dores abdominais, vômito e irritação na pele, dentre outros.

Devido ao risco à saúde, é preciso evitar o contato direto com a pele, inalação ou ingestão do produto, principalmente gestantes e crianças. O manual sugere que as pessoas não entrem na água do mar nas regiões afetadas. Aos profissionais de saúde, a regra é notificar os casos no Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN).

O consumo de peixes e frutos do mar deve ser observado de acordo com as orientações da vigilância sanitária de cada região. Pescadores e banhistas devem consultar os órgãos de meio ambiente locais sobre as atividades recreacionais e de pesca.

A cartilha informa os números dos serviços de saúde que podem ser consultados em caso de exposição e aparecimento de sintomas. Um deles é do Disque Saúde – 136. O outro é da Central de Informações Toxicológicas – 0800 722 6001.

Ação integrada

Nesta semana, o ministro Gustavo Canuto e o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, estiveram reunidos com autoridades de quatro estados do Nordeste para tratar de ações emergenciais e apoio aos municípios afetados pelo derramamento de óleo. Eles se encontraram com governadores, prefeitos e equipes de defesa civil e outros órgãos envolvidos na Operação Amazônia Azul.

O Governo Federal já mobilizou 3,4 mil servidores e colaboradores, além de 5 mil militares do Exército. Canuto também solicitou à Petrobras a aquisição de 8 mil kits de proteção individual para que todos possam atuar com segurança e sem riscos à saúde na retirada do óleo das praias.

No início da semana, o MDR liberou R$ 2,5 milhões para de Sergipe e reconheceu sumariamente a situação de emergência nos municípios baianos de Camaçari, Conde, Entre Rios, Esplanada, Jandaíra e Lauro de Freitas. Na quarta-feira (23) foi publicado, também, o reconhecimento federal de São José da Coroa Grande, em Pernambuco.

- Publicidade -

Deixe uma resposta